terça-feira, 19 de junho de 2018

Sleep's Dopesmoker

Funeral Horse - "Emperor Of All Maladies" (2018)

Review: ⚡Funeral Horse - 'Psalms for the Mourning' (2018)⚡

Conseguem imaginar a sonoridade obscura e vigorosa de Black Sabbath parcialmente transfigurada num ardente e tonificante Garage Rock de atitude Punk? Se sim, alcançaram os fascinantes domínios de Funeral Horse. Este radical power-trio oriundo da cidade de Houston (Texas, EUA) acaba de lançar o seu novo álbum ‘Psalms For The Mourning’ em formato físico de vinil (numa edição ultra-limitada a 500 cópias existentes) através do selo discográfico local Artificial Head Records, e o mesmo provocara em mim uma forte implosão de entusiasmo. A sua sonoridade de natureza complexa e peculiar passeia-se de um atraente, veraneio, ritmado e deslumbrante Garage Rock – pontapeado por um vagaroso, sonolento e ocioso Punk Rock de rotação branda, e bronzeado por um refrescante Surf Rock de índole sessentista – a um intrigante, robusto, sombrio e empolgante Heavy Metal de feição e tonalidade Sabbath’ica, atravessando ainda as margens de um elegante, carismático e apaixonante Delta Blues de inspiração rústica. E são estes ingredientes musicais tão profundamente contrastantes e aparentemente incompatíveis, mas que quando conjugados, temperados e devidamente cozinhados com a maestria desta formação norte-americana resultam numa enigmática, aromática e comovente combinação que nos hipnotiza, dilata as pupilas e narcotiza do primeiro ao derradeiro minuto. ‘Psalms For The Mourning’ é um magnífico álbum, assombrado por uma atmosfera instigante, bizarra, exótica e aliciante, que nos faz dançá-lo e reverenciá-lo sem a mais pequena réstia de inibição. Percam-se por entre a airosa e majestosa extravagância de Funeral Horse ao volante de uma excêntrica guitarra criadora de riffs inflamantes, arrojados e facilmente contagiantes, e solos imaginativos, sumptuosos, maravilhosos e lenitivos, um baixo lúgubre e magnetizante de bafagem delineada, pulsante, sombreada e reverberante, uma bateria diligente, inventiva e entusiasmante, esporeada e governada a uma ritmicidade sublimemente multifacetada, e ainda uma voz agressiva, turva, nebulosa e incisiva que cavalga com ousadia toda a obscenidade exalada por ‘Psalms For The Mourning’. Este é um álbum de digestão custosa, mas que melhora substancialmente com o amontoar das audições. Permitam-se dissolver nesta envolvência carnavalesca, mística e burlesca dos texanos Funeral Horse e vivenciem com total entrega e fascinação o transbordante exotismo de um dos álbuns mais singulares de 2018.

Joshua Tree National Park, USA

domingo, 17 de junho de 2018

🔥 The Dues (Live)


🎳 The Big Lebowski

🎧 Whoopie Cat - 'Illusion of Choice' (2018)

Review: ⚡ Saturno Grooves - 'Solar Hawk' (2018) ⚡

Do exótico México chega-nos ‘Solar Hawk’: o primeiro trabalho de longa duração do enérgico power-trio asteca Saturno Grooves. Lançado no passado mês de Maio em formato digital (disponível para download gratuito) pelo pequeno selo discográfico local LSDR Records – embora com a promessa deixada pela banda de um lançamento em formato físico agendado para o presente mês de Junho – através da sua página oficial de Bandcamp, este expressivo álbum de estreia da formação localizada no estado mexicano de Durango vem atestado de um poderoso, ardente, intenso e vigoroso Stoner Rock em sedutora parceria com um perfumado, obscuro, dinâmico e torneado Heavy Blues de feições Doom’escas. A sua sonoridade inflamante, tórrida e excitante – fervida e marinada em efeito fuzz – embebeda-nos de uma absorvente, veemente e prazerosa adrenalina auditiva que nos provoca e euforiza do primeiro a último tema. São cerca de 34 minutos conduzidos a uma ritmicidade galopante provocando no ouvinte uma boleia sonora verdadeiramente alucinante. Sintam o bafo quente de uma guitarra que se agiganta e enegrece em riffs vibrantes, sombrios, alterosos e dominantes, e se desprende e deslumbra em solos ácidos, delirantes, borbulhantes e arrebatadores. Estremeçam com a reverberante ondulação emanada de um baixo intenso e corpulento que se serpenteia em linhas magnetizantes, pausadas, carregadas e pujantes, e desprendam a cabeça numa violenta e desenfreada resposta comportamental a uma turbulenta e assanhada bateria de ritmicidade animada, empolgante, atordoante e arrojada. ‘Solar Hawk’ é um álbum chefiado por uma imponente tirania que nos invade, agride e sacode sem qualquer moderação. Um registo marcante – superiormente movido a fogosidade, robustez, dinamismo e intensidade – que promete competir pelos lugares cimeiros da lista acabada onde se perfilam os melhores álbuns nascidos em 2018. Deixem-se bronzear pela impetuosa, opulenta e psicotrópica radiância de Saturno Grooves e vivenciem com total ebulição um dos discos mais tonificantes do ano.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

ZZ Top '71

Review: ⚡ Gaupa - 'Gaupa' EP (2018) ⚡

Da cidade de Falun (na Suécia) chega-nos o exótico EP de estreia da jovem banda Gaupa. De designação homónima e lançado no inicio do presente mês de Junho unicamente em formato digital através da sua página oficial de Bandcamp, este extravagante registo ostenta uma ardente mistura de géneros musicais de onde sobressai um fervoroso, robusto e portentoso Stoner Rock massajado e climatizado por um envolvente, afável e apaixonante Folk Rock, obscurecido e tonificado por um denso, sombrio e arrastado Doom, e ainda perfumado e orientado por um serpenteante, inventivo e fascinante Prog Rock. É esta a saborosa receita sonora posta em prática na produção e execução de ‘Gaupa’. Uma veemente, mística e elegante digressão que nos passeia por ambiências completamente contrastadas, causando em nós – ouvintes – uma poderosa sensação de intriga e apego que nos mantém atrelados e hipnotizados do primeiro ao derradeiro tema. São 28 minutos saturados por um ostensivo encantamento e ventilados por uma estranha e enigmática substância que sobrevoa e atemoriza toda a plenitude do EP. Embarquem nesta viagem evolutiva pelo misterioso universo de ‘Gaupa’ atrelados a duas guitarras messiânicas que se coligam e amplificam em montanhosos, mântricos e majestosos riffs e se dispersam e serpenteiam em solos extasiantes, arábicos e alucinantes, um baixo meditativo de linhas pulsantes, torneadas, acentuadas e possantes, uma bateria ofensiva de ritmicidade galopante, fogosa e instigante, e uma voz atraente, diabrina, translucida e reluzente que empresta a este EP toda uma dose de exuberância, bizarria e extravagância. De enaltecer ainda o artwork – superiormente trabalhado pelo já carismático e afamado ilustrador francês Jo Riou – que embeleza e formoseia esta auspiciosa estreia da banda nórdica. ‘Gaupa’ é um registo de essência sibilina que nos persegue, alicia e embevece. Uma cativante obra de tonalidade ocultista que tanto nos sombreia, encrespa e atemoriza, como incendeia, liberta e euforiza. Comunguem detidamente este EP e testemunhem todo um prazeroso e brumoso estádio de assombro e feitiço nublar e atestar a vossa alma sedenta de algo assim.