quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Kyuss @ Segnali Di Fumo, Itália (1995)

Cinema de Dezembro

Freaks and Geeks S01 (1999 – 2000) de Paul Feig   ★★★★★
Racing Extinction (2015) de Louie Psihoyos   ★★★★★
Meru (2015) de Jimmy Chin & Elizabeth Chai Vasarhelyi   ★★★★★
A Girl Walks Home Alone at Night (2014) de Ana Lily Amirpour   ★★★☆☆
Inside Out (2015) de Pete Docter & Ronnie Del Carmen   ★★★★
Bai ri yan huo (2014) de Yi’nan Diao   ★★★☆☆
This Changes Everything (2015) de Avi Lewis    ★★★★
Peaky Blinders S01 (2013) de Steven Knight   ★★★★★
The Pirate Bay – Away from Keyboard (2013) de Simon Klose   ★★★★
My Dinner with Andre (1981) de Louis Malle   ★★★★★
The Last Days of Disco (1998) de Whit Stillman   ★★★☆☆
The Beguiled (1971) de Don Siegel   ★★★☆☆
Last Night (1998) de Don Mckellar    ★★★★
Get Real (1998) de Simon Shore  
★★★★

Vibravoid - "Mother Sky" (CAN cover)


Rotor - "Rabensol" (Fünf, 2015)


quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Øresund Space Collective - "Different Creatures" (2015)

Não me perdoaria se deixasse terminar este ano de 2015 sem que descrevesse o novo trabalho da banda escandinava Øresund Space Collective chamado “Different Creatures” e lançado no passado mês de Novembro. Este novo trabalho da banda que reúne amigos músicos da Dinamarca e Suécia num ambiente descontraído mas imensamente prolífico representa a sequela do seu Prog-Space-Jazz que lhe é tão característico. Da sua longa e considerável discografia que se distende ao longo dos seus quase 12 anos de existência, nomeio o “Dead Man In Space” de 2010 – ao qual tantas e tantas vezes recorri – e este “Different Creatures” como os meus discos favoritos. Gravado em 2014 ao vivo num estúdio da capital dinamarquesa, este disco expõe o que de mais admirável nascera das suas intermináveis jams espaciais. Baseado num Prog Rock de mãos dadas ao Space Rock e ao Jazz, “Different Creatures” presenteia-nos com uma extensa e penetrante odisseia cósmica que nos deslumbra ao longo dos cerca de 140 minutos que lhe conferem corpo temporal. É demasiado fácil deixarmo-nos seduzir pela atmosfera sideral e fantasista deste disco, obrigando-nos a vivenciá-lo com plena permissividade e submissão. De toda esta profusão instrumental, destaco o trabalho verdadeiramente envolvente das guitarras que se transcendem em fecundantes e anestésicos solos, um baixo murmurante de repetidas linhas hipnóticas, uma bateria jazzística de ritmos paulatinos e fascinantes, e a ondulante dança dos sintetizadores que harmonizam toda a ambiência de “Differente Creatures” com a sua nebulosidade onírica e visceral. Este é um disco que nos convida à profunda meditação. Um disco criador de uma espiral estelar que nos abraça e magnetiza rumo à medula nirvânica. Recostem-se, fechem os olhos e deixem que a sonoridade de Øresund Space Collective edifique todo um firmamento cósmico por onde a vossa consciência será levada a passear. Sintam o doce torpor de “Different Creatures” e testemunhem uma das passeatas espirituais mais tranquilizantes da vossa existência.  

Os Øresund Space Collective são uma das bandas já confirmadas pela organização do festival Reverence Valada para a próxima edição de 2016. Experienciá-los ao vivo será não só a concretização de um velho sonho, mas a garantia de poder vivenciar uma das mais extasiantes, profundas e místicas propulsões da alma.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015